A Cultura Conjunta é um projeto promovido pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de São João da Madeira e Câmara Municipal de S. João da Madeira, e tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura.

Fomos desta vez ao Teatro do Campo Alegre, no Porto, assistir à última criação das Aurora Negra - “A Missão da Missão”, no passado dia 10 de fevereiro.

Pode ser transformador assistir a uma peça que fala das lutas pela construção da liberdade, dos movimentos de libertação africanos e da importância do papel da participação feminina.

Já estamos a fazer planos para março, não percam!

 

Os Ecos Urbanos, desde 2012, realizam uma das suas atividades mais especiais e simbólicas, as Cartas ao Pai Natal, e durante todos estes anos já foram apadrinhadas 497 cartas.

As Cartas ao Pai Natal têm como principal objetivo mobilizar a comunidade na concretização dos sonhos de Natal das crianças, identificadas, de famílias acompanhadas pelo Centro Comunitário Ecos Urbanos (CCEU), e agora também pelo SAAS SJM (Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social de S. João da Madeira) - Equipa Ecos Urbanos.

É um momento único para as crianças e de solidariedade para os padrinhos e madrinhas.

Até 30 de novembro, as crianças, até aos 10 anos, das famílias acompanhadas por nós, são convidadas a escrever a sua carta ao Pai Natal. As cartas devem ser remetidas preferencialmente via email para cartasaopainatal@ecosurbanos.pt, quem não conseguir poderá deixar na nossa caixa de correio.

As cartas serão divulgadas na página do Facebook Ecos Urbanos, para apadrinhamento/amadrinhamento de 1 a 18 de dezembro.

Os/as interessados/as, na própria imagem/carta que desejam apadrinhar deverão comentar “eu quero ser padrinho/madrinha desta carta”.

Os padrinhos e as madrinhas serão contactados por mensagem privada no Facebook, onde poderão tirar duvidas ou esclarecer outras orientações sobre a carta apadrinhada.

Até dia 18 de dezembro, os padrinhos/madrinhas deverão fazer chegar o presente, devidamente identificado com o número da carta que apadrinhou/amadrinhou, via correio para Associação de Jovens Ecos Urbanos, Avenida Dr. Renato Araújo, n.º 441, 1º Piso, 3700-244 S. João da Madeira, ou entregar diretamente na associação na mesma morada, no horário das 09h às 13h e das 14h às 18h.

Os presentes serão entregues, às crianças, dia 22 de dezembro, num momento muito especial, que a associação está a preparar.

Até lá...dê magia neste natal.

A Cultura Conjunta, promovida pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura, vai ao Teatro Nacional S. João (Porto), assistir ao espetáculo "Salomé", novo espetáculo da atriz e encenadora Monica Calle, fundadora da Casa Conveniente, espaço onde sempre se estreitaram relações “entre a arte e o mundo, entre a rua e a casa, entre o exterior e o interior, marcando diferenças e aceitando vizinhanças e influências, no próximo dia 11 de novembro, às 18h, convidando para o efeito a Associação de Comerciantes de S. João da Madeira, para nos acompanhar.

Sinopse:

O Teatro Nacional São João convidou Mónica Calle a enfrentar os abismos de Salomé. Três anos depois de coproduzirmos Este É o Meu Corpo, ciclo onde revisitou quatro emblemáticos solos, reencontramo-nos com o seu teatro íntimo e ritual. Poema dramático simbolista de Oscar Wilde, Salomé foi escrito em 1892 e baseia-se na história bíblica da decapitação de São João Batista. Uma narrativa atormentada pela beleza, o corpo, a transgressão, assuntos recorrentes na obra de Wilde, marcada pelo humor e horror à respeitabilidade vitoriana. A peça do escritor irlandês é aqui o horizonte onde se inscrevem as obsessões temáticas e formais – numa palavra: performativas – de Mónica Calle. Em Salomé, ela sonda a arte como potência ou força capaz de abalar as hierarquias de poder e dominação, bem como as tentativas de silenciamento da memória individual e coletiva. “Um raio de lua cai sobre Salomé, e ilumina-a.”

Informações:

A Associação de Jovens Ecos Urbanos comunica que estão abertas as inscrições para a temporada 2023-2024, do grupo de Teatro Oficina de Artistas.

Sob a orientação de Pedro Vieira, os dois grupos, um para os mais novos/as e outro para os mais velhos, iniciam esta temporada em outubro 2023 que decorrerá até junho de 2024.
Com ensaios semanais, entre 18h e as 20h, na sala Ecos Urbanos na Oliva Creative Factory, a Oficina de Artistas, produz anualmente as suas peças originais ou adaptações, que são apresentadas em atividades da associação, no festival de teatro ou noutros eventos previamente avaliados.

Se És
…criativo/a
…inventivo/a
…apaixonado/a por histórias e ideias
…sentes-te artista dentro ou fora do palco
…então…
a Oficina de Artistas está à tua espera!

Consulta aqui o  REGULAMENTO  , a FICHA DE INSCRIÇÃO  e as respetivas  AUTORIZAÇÕES , preenche e envia-nos por email para pedro.vieira@ecosurbanos.pt, ou então podes entregar presencialmente nas nossas instalações.

A Oficina de Artistas, grupo de teatro, dos Ecos Urbanos, existe desde 2016, e tem como principais objetivos, em cada trabalho, além de competências artísticas específicas, estimular o desenvolvimento pessoal, a responsabilidade, a proatividade, a capacidade de questionar a realidade assentes na valorização da imaginação presente em cada participante.

Mais Informações:
Morada: Avenida Dr. Renato Araújo, n.º 441, 1.º piso - 3700-244 S. João da Madeira
Horário: 2ª a 6ª feira, das 09h às 12h 30m e das 14h às 17h 30m.
Telefones: 256824532 e 969849744
Orientador: Pedro Vieira: 918950276

 

A Oficina de Teatro dos Ecos Urbanos - Oficina de Artistas,  apresentou, "As Mulherzinhas", obra mundialmente conhecida, no passado dia 30 de junho, às 21h 30m, na Casa da Criatividade.

Foi uma grande emoção voltarmos a pisar o palco, ainda por cima para interpretar um dos romances mais lidos de sempre, "As Mulherzinhas", de Louisa May Alcott.

O trabalho de vários meses, de pesquisas, resumos, adaptações, experiências e muitos ensaios, resultaram numa peça, intensa, em que as pequenas GRANDES artistas deram corpo, voz e muita alma às oito personagens que integram esta adaptação para teatro de Pedro Vieira que também encena a Oficina de Artistas.

Muitos Parabéns a todes, pois estiveram mais que à altura do objetivo a que se tinham proposto, de fazer TEATRO!

Queríamos agradecer à Câmara Municipal de São João da Madeira, aos/às voluntários/as do Banco Local de Voluntariado de S. João da Madeira, um agradecimento muito especial para todo o pessoal da Casa da Criatividade, que foram mais que excecionais do primeiro ao último momento.

As fotografias são do Marco Seris

👉 Sabe mais sobre a oficina de artistas  https://ecosurbanos.pt/oficina-de-teatro/

 

A Oficina de Artistas dos Ecos Urbanos, lança-se em novas aventuras e desta vez desafia-se na interpretação do romance de Louisa May Alcott, que revolucionou a literatura para várias gerações de adolescentes.
As Mulherzinhas, já foi adaptada dezenas de vezes, desde filmes silenciosos, a óperas, musical da Broadway, chega agora ao palco da Casa da Criatividade, no próximo dia 30 de junho (sexta feira), às 21h 30m, com uma adaptação do texto para teatro de Pedro Vieira que encena a Oficina de Artistas Ecos Urbanos.

Bilhetes à venda na Bilheteira Online (BOL):  AQUI - LINK
e  nos locais habituais:Torre da Oliva, Paços da Cultura
Junta de Freguesia,
Worten S. João da Madeira
FNAC
CTT

Sinopse:
Quando o marido parte para combater na Guerra Civil dos EUA, a Sra. March tem de educar sozinha as quatro filhas - as suas Mulherzinhas. Elas são a espirituosa Jo, a conservadora Meg, a frágil Beth e a romântica Amy. À medida que o ano passa, as irmãs partilham algumas das mais queridas e dolorosas memórias do processo de crescimento, enquanto a mãe as ensina a lidar com temas como a independência, o romance e a virtude.

"As Mulherzinhas"
Obra Original: Little Women de Louisa May Alcott
Adaptação: Pedro Nuno Vieira
Encenação: Pedro Nuno Vieira
Elenco Oficina de Artistas: Carolina Santos, Gabriela Silva, Lara Pinho, Ash Araújo, Mafalda Bastos, Maria Silva, Jack Craveiro, Sofia Dias
Produção: Associação de Jovens Ecos Urbanos

👉 Sabe mais sobre a oficina de artistas -> https://ecosurbanos.pt/oficina-de-teatro/

Cartaz em formato PDF AQUI

Os Ecos Urbanos foram desafiados pela FNAJ - Federação Nacional das Associações Juvenis para participar nas Comemorações Oficiais do DAJ, no dia 30 de abril, às 11h, na Pousada de Juventude de Espinho, tendo contado com a Presença do Secretário de Estado daJuventude e do Desporto e com a Ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, com o mote “O Associativismo das Causas”.

As comemorações do Dia do Associativismo Jovem 2023 têm como intuito reconhecer o papel preponderante das novas gerações e das associações juvenis na sociedade, que assumem o compromisso de mudar o mundo à sua volta, enquanto escolas de cidadania, voluntariado e liderança jovem.

O nossa Oficina de Artistas levou a “palco” uma cena da peça “Mulherzinhas”, de, Louisa May Alcott , um clássico feminista que reflete o conflito entre obrigação social e liberdade pessoal e artística da mulher do século XIX.

E a surpresa, reservem já o dia 30 de junho, a peça terá a estreia na Casa da Criatividade. 

A Cultura Conjunta, projeto promovido pela associação, em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura, vai ao Teatro Nacional S. João (Porto) assistir ao espetáculo COSMOS (teatro) de Cleo Diária, Isabél Zuaa, Nádia Yracema, no próximo dia 12 Maio, sexta-feira, às 21h, convidando para o efeito a Assembleia Municipal Jovem S. João da Madeira, para nos acompanhar.

“A primeira imagem do espetáculo é a de um embondeiro de onde pendem três corpos, que poderiam remeter-nos para fotografias de linchamentos de afro-americanos nos EUA.
Mas para Cleo Diára, Isabél Zuaa e Nádia Yracema, estes são “corpos a nascer, a renascer, a curarem-se, a religaram-se, individual e coletivamente”.
Em Cosmos, segunda parte de uma trilogia em construção, as atrizes e encenadoras apropriam-se de “imagens repetidas na História de tantas maneiras trágicas” e atribuem-lhes novos significados.
Uma epopeia onde o tempo e o espaço se confundem, dando origem a uma sobreposição de acontecimentos reais e/ou ficcionais. Através do resgate da mitologia africana e da sua mistura com mitos europeus, Cosmos projeta-se num horizonte afro-futurista, enquanto questiona se somos apenas frutos das histórias que nos contam. Nesta viagem, será impossível não questionar a humanidade e o caminho percorrido até aos dias de hoje. Uma jornada de onde emergem diferentes futuros possíveis.”

Informações:

Banco Local de Voluntariado de S. João da Madeira leva a cena a peça ""Um Coração do Tamanho do Mundo", no XV Festival de Teatro de S. João da Madeira

O Banco Local de Voluntariado de S. João da Madeirapromovido e dinamizado pelos Ecos Urbanos em parceria com mais sete entidades do concelho, apresentou no passado dia 05 de abril, pelas 14h 30m, na Casa da Criatividade, e integrado no Festival de Teatro de São João da Madeira a peça, "Um Coração do Tamanho do Mundo", adaptado da obra "Todos Temos Asas, mas Apenas os Voluntários Sabem Voar", de Sónia Fernandes, no âmbito do projeto MOM- Mudar o Mundo, da Pista Mágica.

A peça contou com a participação de pessoas voluntárias e utentes da CERCI SJM (às quais deixamos o nosso obrigado), tendo apresentado várias cenas e cenários da nossa comunidade, e destinou-se aos/às alunos do 1.º e 2.º ano do 1.º Ciclo do Ensino Básico, das escolas de S. João da Madeira, juntando-se ainda pessoas de outras instituições do nosso concelho, num total de 352 espectadores/as.

Ao espetáculo juntou-se ainda, de forma solidária, o La Mouche Violin Performance que elevou ainda mais a qualidade do espetáculo.

Queremos agradecer a todas as pessoas que contribuíram, de forma direta e indireta, para que fosse possível levar a palco a peça de teatro, que procurou transmitir a importância do voluntariado.

As fotografias foram cedidas pela organização do Festival de Teatro de S. João da Madeira.

Créditos: Marco Seris

A Oficina de Artistas leva a palco no próximo dia 15 de abril, pelas 15h 30m, nos Paços da Cultura, e integrado na programação do XV Festival de Teatro de S. João da Madeira, a peça original, "INOCENTE OU CULPADO?

Está na génese da Oficina de Artistas, serem os próprios a construírem as peças de teatro. Este ano, a partir de exercícios escritos e práticos, exploramos as nossas experiências, vividas, observadas ou até imaginadas, numa praia.

À partida um tema simples, com as habituais histórias e peripécias de uma ida à praia, mas que, rapidamente se transformará num episódio com um tema mais sério, profundo e urgente, que irá pôr frente a frente a Mãe Natureza e o Ser Humano.

De um lado temos gerações com força e vontades de mudar o mundo, que respiram urgência ambiental e anseiam um futuro neste planeta. Do outro, temos gerações que mostram resistência à mudança e à adaptação a estilos de vida mais sustentáveis. Uma série de episódios, em que o comportamento humano em relação ao mundo que nos rodeia levará a um Julgamento, deixando o desfecho desta peça nas mãos do publico.

INOCENTE OU CULPADO de Pedro Vieira
Encenação: Pedro Nuno Vieira
Elenco: Carlota Ferreira, Carolina Azevedo, Edgar Dias, Francisca Ferreira, Inês Oliveira, Luísa Casto, Mariana Reis, Rita Almeida, Sofia Vilar, Cláudia Rodrigues
Produção: Associação de Jovens Ecos Urbanos
Assistentes de Produção: Ana Magalhães, Cláudia Rodrigues

A 15ª Edição Festival de Teatro de São João da Madeira decorre entre 26 de março e 23 de abril de 2023.

Os bilhetes já estão à venda por 4,50€, nos locais habituais:

Instituição Particular de Solidariedade Social
© 2023 Ecos Urbanos - WebDesign by ¬ CASH
envelopephonemap-markersmartphone linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram