A Cultura Conjunta é um projeto promovido pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de São João da Madeira e Câmara Municipal de S. João da Madeira, e tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura.

Fomos desta vez ao Teatro do Campo Alegre, no Porto, assistir à última criação das Aurora Negra - “A Missão da Missão”, no passado dia 10 de fevereiro.

Pode ser transformador assistir a uma peça que fala das lutas pela construção da liberdade, dos movimentos de libertação africanos e da importância do papel da participação feminina.

Já estamos a fazer planos para março, não percam!

 

A nossa missão em fevereiro é conhecer a última criação das Cleo Diára, Isabél Zuaa e Nádia Yracema – “A Missão da Missão” das Aurora Negra, que está em cena no Teatro Municipal do Porto.

Uma peça que fala do reconhecimento da urgência de construir utopias para construir realidades mais igualitárias, "A Missão da Missão" tem por base os movimentos de libertação africanos e a importância fundamental da participação feminina nessas lutas pela liberdade.

Aberta a toda a comunidade, a Cultura Conjunta é um projeto promovido pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de São João da Madeira e Câmara Municipal de S. João da Madeira, e tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura.
Para esta edição, convidamos a ADAI - Associação Desportiva de Apoio ao Imigrante, para nos acompanhar.

Deixamos aqui todos os detalhes, para que possa juntar-se a nós:
Saída e ponto de encontro: 10 de fevereiro, às 18h (Centro Coordenador de Transportes), chegada prevista a S. João da Madeira às 21h40;
Valor da saída: 8,00€, inclui bilhete, transporte e seguro;
Para maiores: + de 14 anos;
Para efeitos de seguro, precisamos de formalizar a inscrição de cada participante, contacte-nos e inscreva-se por email:geral@ecosurbanos.pt, até dia 30 de janeiro, enviando no assunto: Cultura_Conjunta _10 fevereiro, e os seguintes dados; nome completo, data de nascimento, número de contribuinte e contacto telefónico.

Mais informações:
Telefones: 256824532 (custa da chamada para rede fixa nacional) - 969849744 (custo da chamada para rede móvel nacional).
Horário: de 2ªa a 6ª feira - das 9h às 12h 30m e das 14h às 17h 30m.
Email: geral@ecosurbanos.pt;

Fomos visitar a Bienal Internacional de Cerâmica Artística de Aveiro. Começamos pelo Museu de Santa Joana – um dos principais espaços da bienal, onde estão expostas as 83 obras selecionadas a concurso e seguimos pelos outros museus e galerias da cidade.

Conhecemos o Museu Arte Nova, o Museu da Cidade, a Galeria da Antiga Capitania e ainda deu tempo para visitar a exposição no claustro da Misericórdia.

De passaporte na mão, visitamos a 31ª edição, a mais internacional de sempre. Uma manhã intensa, cheia de sol, num percurso pela cidade que está mesmo bonita.

Fiquem atentos a próxima Cultura Conjunta, está quase a chegar! 😉

A Cultura Conjunta é um projeto promovido pela associação, em parceria com a Junta de Freguesia de São João da Madeira e Câmara Municipal de S. João da Madeira, e tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura.

 

A Cultura Conjunta, promovida pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura, vai no próximo dia 21 de janeiro, visitar a Bienal de Cerâmica Artística de Aveiro, há 107 obras para ver, num percurso por toda a cidade.

Para além da mostra principal, com as obras que se apresentaram a concurso, o programa aposta ainda nas exposições de Alberto Vieira, Virgínia Fróis, Enric Mestre e Karen Gunderman.

Iremos começar a nossa visita pelo epicentro da exposição - o Museu de Santa Joana – onde estão expostas as 83 obras selecionadas para a final do concurso e seguiremos pelos outros museus e galerias da cidade. 30 anos depois da primeira edição, é a mais internacional de sempre.

Para esta edição, convidamos a comunidade que trabalha na Oliva Creative Factory para nos acompanhar.

Deixamos aqui todos os detalhes, para que possa juntar-se a nós:
Saída e ponto de encontro: 21 de janeiro, às 9h30 (Centro Coordenador de Transportes), chegada prevista a S. João da Madeira às 14h30;
Valor da saída: 2,00€, inclui bilhete, transporte e seguro;
Para maiores: de 6 anos
Telefones: 256824532/969849744 (das 9h às 12h 30m e das 14h às 17h 30m) ou geral@ecosurbanos.pt;

Para efeitos de seguro, precisamos de formalizar a inscrição de cada participante, contacte-nos e inscreva-se por email: geral@ecosurbanos.pt, com o assunto email: Cultura_Conjunta_21 janeiro, até dia 17  de janeiro, enviando os seguintes dados:
nome completo
data de nascimento
número de contribuinte
contacto telefónico

Saiba mais sobre a Bienal AQUI

A Cultura Conjunta é um projeto promovido pelos Ecos Urbanos, em parceria com a @Junta de Freguesia de São João da Madeira e Câmara Municipal de S. João da Madeira, e tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura.

A Cultura Conjunta, promovida pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura, vai ao Teatro Nacional S. João (Porto), assistir ao espetáculo "Salomé", novo espetáculo da atriz e encenadora Monica Calle, fundadora da Casa Conveniente, espaço onde sempre se estreitaram relações “entre a arte e o mundo, entre a rua e a casa, entre o exterior e o interior, marcando diferenças e aceitando vizinhanças e influências, no próximo dia 11 de novembro, às 18h, convidando para o efeito a Associação de Comerciantes de S. João da Madeira, para nos acompanhar.

Sinopse:

O Teatro Nacional São João convidou Mónica Calle a enfrentar os abismos de Salomé. Três anos depois de coproduzirmos Este É o Meu Corpo, ciclo onde revisitou quatro emblemáticos solos, reencontramo-nos com o seu teatro íntimo e ritual. Poema dramático simbolista de Oscar Wilde, Salomé foi escrito em 1892 e baseia-se na história bíblica da decapitação de São João Batista. Uma narrativa atormentada pela beleza, o corpo, a transgressão, assuntos recorrentes na obra de Wilde, marcada pelo humor e horror à respeitabilidade vitoriana. A peça do escritor irlandês é aqui o horizonte onde se inscrevem as obsessões temáticas e formais – numa palavra: performativas – de Mónica Calle. Em Salomé, ela sonda a arte como potência ou força capaz de abalar as hierarquias de poder e dominação, bem como as tentativas de silenciamento da memória individual e coletiva. “Um raio de lua cai sobre Salomé, e ilumina-a.”

Informações:

A Cultura Conjunta, promovida pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura, vai ao Mosteiro S. Bento da Vitória (Porto), assistir ao espetáculo "Uma outra Bela Adormecida", com a Orquestra Sem Fronteiras, a partir de um texto da Agustina Bessa Luís, no próximo dia 4 de junho, domingo, às 14h, convidando para o efeito a Associação de Comerciantes de S. João da Madeira, para nos acompanhar.

Sinopse:

Convidada em 1998 a escrever para um programa da Companhia Nacional de Bailado a propósito de A Bela Adormecida, Agustina Bessa-Luís revisitou o conto de Charles Perrault à luz dos tempos modernos e da sua proverbial mordacidade. “A Bela Adormecida hoje seria salva pelo Super-Homem e viajava para muito longe da Terra numa nave espacial”, escreveu ela. Uma Outra Bela Adormecida é um espetáculo-concerto, dirigido por Beatriz Brás, que leva à cena esta pouco conhecida narrativa de Agustina, no ano do seu Centenário. Num espaço onírico, onde a ironia e a noção de alteridade circulam livres, o texto da escritora dialoga com a música original de Martim Sousa Tavares (interpretada ao vivo pela Orquestra Sem Fronteiras) e com a projeção de animação e ilustrações de Francisco Lourenço. Espetáculo indicado para famílias e crianças a partir dos 6 anos, o maravilhoso que conduz este “conto em música” celebra o Dia Mundial da Criança, que se assinala a 1 de junho.

Informações:

A Cultura Conjunta, projeto promovido pela associação, em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura, vai ao Teatro Nacional S. João (Porto) assistir ao espetáculo COSMOS (teatro) de Cleo Diária, Isabél Zuaa, Nádia Yracema, no próximo dia 12 Maio, sexta-feira, às 21h, convidando para o efeito a Assembleia Municipal Jovem S. João da Madeira, para nos acompanhar.

“A primeira imagem do espetáculo é a de um embondeiro de onde pendem três corpos, que poderiam remeter-nos para fotografias de linchamentos de afro-americanos nos EUA.
Mas para Cleo Diára, Isabél Zuaa e Nádia Yracema, estes são “corpos a nascer, a renascer, a curarem-se, a religaram-se, individual e coletivamente”.
Em Cosmos, segunda parte de uma trilogia em construção, as atrizes e encenadoras apropriam-se de “imagens repetidas na História de tantas maneiras trágicas” e atribuem-lhes novos significados.
Uma epopeia onde o tempo e o espaço se confundem, dando origem a uma sobreposição de acontecimentos reais e/ou ficcionais. Através do resgate da mitologia africana e da sua mistura com mitos europeus, Cosmos projeta-se num horizonte afro-futurista, enquanto questiona se somos apenas frutos das histórias que nos contam. Nesta viagem, será impossível não questionar a humanidade e o caminho percorrido até aos dias de hoje. Uma jornada de onde emergem diferentes futuros possíveis.”

Informações:

CULTURA CONJUNTA VAI À FÁBRICA IDEIAS NA GAFANHA DA NAZARÉ

Nesta saída cultural propomos uma viagem até à Fábrica Ideias (Gafanha da Nazaré) para assistirmos a duas peças numa noite - Criações comissionadas pelo projeto Terra Batida para o Alkantara Festival.

A primeira, é RASANTE de Joana Levi, uma performance que se desenrola como um jogo, “em que o sedimento das fronteiras hierárquicas estabelecidas entre “Humano” e “Animal” aparece como máquina replicadora de relações coloniais, racionalistas e supremacistas, que não cessam de entulhar e aterrar o presente do futuro.”

A segunda é ALL YOU NEED IS PLANKTON de Vera Mantero - Uma performance conferência “para estimular a consciência em torno de uma ecologia interior e colectiva, a percepção do que são crimes ambientais e a função dos direitos da natureza. Um formato estranho como o fundo do mar, envolvendo justiça restaurativa, performance, sexo entre baleias, rituais, participação, silêncio e um contrato com o mar.”

Propomos portanto uma imersão no pensamento ecológico.

A Cultura Conjunta é um projeto em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira. Tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura e a instituição convidada desta saída é o grupo EcosAção

Informações:

CULTURA CONJUNTA VAI TEATRO AVEIRENSE - AMORE de PIPPO DELBONO 

Desta vez é que é mesmo imperdível!. Vamos ouvir falar de amor, ao Teatro Aveirense
Amore é uma viagem musical e lírica através de uma geografia para além de Portugal, Angola, Cabo Verde, interpretada por artistas consagrados de diferentes países.
"Amore" é também imagem…”é um quadro que muda de cores, aquece e arrefece” e as palavras são de Carlos Drummond de Andrade, Eugénio de Andrade, Daniel Damásio, Ascensão Filipe, Sophia de Mello Breyner Andresen, Jacques Prévert, Reiner Maria Rilke e Florbela Espanca.

A Cultura Conjunta é um projeto em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira. Tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura e a instituição convidada desta saída é o grupo de teatro TOJ da Escola Oliveira Júnior

Informações:

A Cultura Conjunta, projeto promovido pelos Ecos Urbanos, em parceria com a Junta de Freguesia de S. João da Madeira e a Câmara Municipal de S. João da Madeira e que tem como objetivo a inclusão social através do acesso à cultura, vai realizar a próxima saída à Contextile, no próximo dia 5 de outubro.

A Contextile,está integrada na celebração de Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, e pretende ser  um retrato da criação da arte têxtil contemporânea no panorama nacional e internacional com trabalhos artísticos provenientes de 50 artistas de cinco continentes, num total de 57 obras, que podem ser vistas em diferentes locais de interesse na cidade de Guimarães.

A entidade convidada, desta saída, é o Clube do Tricô do Orreiro, estando ainda aberta à participação da comunidade em geral, com uma inscrição prévia, até dia 03 de outubro (256824532/969849744 ou geral@ecosurbanos.pt.), com o pagamento de 4,00€, valor que inclui free pass para todas as exposições, transporte e o seguro. Recomendamos, a quem quiser, levar piquenique.

Para as pessoas interessadas o ponto de encontro será dia 05 de outubro, pelas 10h, no Centro Coordenador de Transportes, estando a chegada prevista a S. João da Madeira, para as 18h.

Instituição Particular de Solidariedade Social
© 2023 Ecos Urbanos - WebDesign by ¬ CASH
envelopephonemap-markersmartphone linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram